Deus avisa

 

Ultimamente a única coisa que me passa pela cabeça é o quanto as vezes a vida parece fluir de uma maneira absolutamente diversa daquela que esperamos. É o que tenho sentido em vários setores da minha vida. Tudo o que planejei para a minha década dos 30 não aconteceu. Porém, outras coisas, muito espetaculares, muito mais estranhas, substituíram a sequência casamento – filhos – carreira – casa própria. E eu estou feliz. Muito feliz. Talvez BEM mais feliz do que se tivesse seguido a sequência canônica. Eu ando na rua sorrindo.  Isso é um indicativo, né? (Vale lembrar que, segundo aferições de pessoas queridas e muito próximas eu *não* sou boba; doida sim, mas boba não…  =P  )

Bom, faz algum tempo eu não tenho ido a nenhum centro. Nem sequer prestado muita atenção no “outro mundo”. Estava tão cheia de coisas pra fazer nesse lado de cá que simplesmente “dei um tempo” do  mundo de lá. Essas coisas se cobram por si só. Sendo uma DDA feliz é óbvio que muita coisa passou desapercebida. A raiva que eu estava suscitando nas pessoas, por rir demais. A inveja que certas pessoas estavam começando a sentir porque, mesmo sem muitas razões aparentes, eu ainda assim estava cantarolando. E, é claro que havia pessoas na minha própria casa usando droga pesada e alimentando ódio. Que coisa mais desagradável! Mas é Murphy… Quando vc descuida, acontece. Claro.

Também é lógico que eu deveria ter sentido isso e me prevenido. Ah, mas não senti, tá bom? Nem me liguei. Não percebi que as energias estavam mudando, só comecei a ter insônia. O cansaço e a insônia foram batendo cada vez mais forte. A ponto de eu dormir 3 horas por noite na última semana de junho. É claro que pus a culpa na faculdade, nos relatórios, nos projetos, nos planejamentos… No término de um relacionamento que já estava fadado à ruína mesmo antes de começar. E na ansiedade que eu negava em admitir que sentia cada vez que essa nova pessoa demorava a falar comigo no msn.

 

Deus avisa. Deus me avisou que *aquele* relacionamento não ia dar certo. Eu não quis ouvir, paguei pra ver. E vi. =[  Deus avisou, mandou outra pessoa no lugar, *exatamente* no dia em que eu descobri aquele pequeno detalhe que ia fazer tudo *não  funcionar*. Mas eu não quis ouvir. Estava achando que eu podia dar conta de tudo. Acreditei que era poderosa. Estava errada.  Deus avisou sobre a situação toda, as meninas, a inveja, a droga, os erros, tudo. Mas eu estava muito preocupada com meus relatórios. Não escutei.

O problema todo é que os avisos não vêm bonitinhos, lacrados em um envelope, através de um courier que fica esperando a gente assinar pra confirmar o recebimento. Deus não é um velhinho de barbas brancas, sentando em um trono forrado de veludo vermelho, observando cuidadosamente onde a gente põe a mão, só pra mandar raios e fulminar os “pecadores”. Deus está mais pra um algoritmo que roda infinitamente. É claro que o output desse programa vai depender das estruturas cognitivas da gente. Porque o algoritmo é tão, mas tão perfeito, que ainda sabe escolher por si só como vai nos avisar!

Pra algumas pessoas, o Algoritmo fecha as portas. Mas se essas pessoas são burras, continuam batendo nessas portas fechadas, às vezes por anos a fio, sem entender a mensagem. Pra outras, Deus manda gente avisar mesmo. Gente encarnada, física, carne e osso. Fulano bate no seu ombro e fala uma coisa que vc nunca esperava ouvir e que resolve todo o seu problema. Aconteceu comigo na estação Belém do metrô, há alguns anos. Eu, desesperada, sem saber como ia pagar o aluguel. A senhorinha sai do meio da multidão das 6 da tarde, vem na minha direção e diz: “Jesus mandou te avisar que Ele tá olhando e que vai te ajudar”. E enquanto eu me refazia do choque, ela sumiu. Dois dias depois apareceu o dinheiro. E um emprego novo. É o Algoritmo.

Muitas vezes a resposta ou o aviso vêm de coisas que a gente vê na TV, lê em livros, recebe por email. Sim, Deus também usa o Gmail, Orkut, Google… Por que não usaria? Duh, se Ele é o Dono do Mundo, nada mais justo… =P  Mas geralmente a gente não escuta nada, não vê nada e não fala nada que preste, só bobagem. The Three Monkeys upgraded.

Pois bem, Deus me avisou e felizmente, como eu não ouvi de jeito nenhum, ele deu um jeito de eu parar quieta. Me pôs de cama. Duas semanas de uma gripe horrorosa que me fizeram enxergar tudo, ainda que eu estivesse debaixo das cobertas. Eu finalmente *tive* que admitir que aquele relacionamento era muito furado. E nesse momento, aquele pequeno aviso do Algoritmo que vinha em doses homeopáticas pelo msn todos os dias assomou o vácuo que o homem fanático por “russas canhotas que falassem francês” havia deixado. O aviso veio na forma de cachos castanho avermelhados. E de mensagens doces. E de muito respeito. Muito mesmo. Agora eu ainda estou impressionada com o “aviso”, por isso não sei que alcance ele tem. Mas estou ainda mais feliz do que eu já sou. Porque é muito bom passar a mão naqueles cachos e rir junto com ele. =]

Ainda debaixo das cobertas, enxerguei o outro aviso. O de que as pessoas com quem convivo não são boas pra mim. Descobri de uma forma dolorosa, necessitando desesperadamente de uma caixa de kleenex e de um  antitérmico que nunca vieram, através de uma porta batida na minha cara e de muita agressividade velada, contida, por causa de uma mesa, que na verdade era uma desculpa pra não se falar… da minha felicidade!! Ou da minha falta de tristeza e desespero com as coisas quando nada dá certo… o que definitivamente não é a mesma coisa, embora as ambas as estratégias andem conjugadíssimas na minha conduta já faz algum tempo.

 Agora que eu vi as mensagens, preciso tomar providências… e não é que o Algoritmo respira aliviado e manda tudo o que eu preciso? Tenho os caminhos abertos, pessoas me dando sugestões, carinho, suporte e palavras de incentivo. E, se os avisos foram do Algoritmo, essas manifestações de carinho são das ressonâncias dEle nessas pessoas maravilhosas. Impressionante esse Deus. ô cara eficiente! =]]

É claro, o prêmio de melhor frase da semana veio, sim, do dono dos cachos, quando eu lamentei que já havia pintado uma parede… que estava tudo tão bonito… “Ué… pinta a outra também! Ou melhor, muda a cor! Não quer?!”

Sim, quero. =] … suspiro… o coração incha…  percebo o <Elmyra Duff mode on>…

Quero. =]

Porém mais do que pintar as paredes novamente  ou escutar a risada dele, eu quero de uma vez por todas aprender a escutar os avisos do Algoritmo antes que Ele tenha que tomar atitudes drásticas pra me fazer parar quietinha novamente. Às vezes pareço uma criança dos infernos de tão agitada. E Ele é um educador muito eficiente. Eu sei que Ele vai me forçar a escutar, porque me ama.  Afinal de contas, não é esta a definição de Deus? Amor?

“I’m gonna hug you and kiss you and love you forever (and never use you up)”  [Elmyra Duff]

Advertisements